Seminario Foto Antiga

Quem está em linha

Temos 1 visitante em linha

Homenagem a António Cabral

António Cabral escritor e investigador trasmontano-duriense faleceu no dia 23 de Outubro, fez precisamente na segunda-feira passada 10 anos, dia escolhido pelo Grémio Liter

ário Vila-realense homenagear este «cantor» do ser e da alma trasmontana, através da sua escrita, em prosa e em poesia. A homenagem foi dupla. Por um lado foi entregue o Prémio Literário António Cabral e, por outro, foi publicado o caderno da Colecção Tellus com o título In Memoriam António Cabral, no qual pariciparam 29  pessoas: familiares, amigos e conhecidos. Uns partilharam vivências, outros agradeceram-lhe plavras de ibcentivo e  ainda outros falaram  dos seus textos  como motivo de inspiração para os seus trabalhos criativos. A.M.Pires Cabral  dez o encómio do «amigo» e companheiro da letras.  Alzira Cabral agradeceu esta homenagem.

O vencedor do Prémio António Cabral veio de Coimbra: (engº) Nuno de Figueiredo. Sublimação da Matéria foi a obra premiada entre 191.

alt

Magusto 2017
18/11/2017
No dia acima referido celebraremos como habitualmente o nosso (AAASVR) magusto no refeitório do Seminário .
Este ano teremos a companhia dos seminaristas actuais.
A Partir das 12 horas -o almoço tradicional seguido das castanhas e afins.
Compareçam. Tragam mais um .
.(DIRECÇÂO)

alt

Monsenhor Ângelo Minhava foi a personalidade que dominou o Encontro Saber Trás-os-Montes deste ano, subordinado ao tema O Cancioneiro Popular Trasmontano e Alto Duriense, que se realizou no último sábado, dia 6, nas instalações da Biblioteca Municipal. O elogio de Mons. Ângelo Minhava foi feito por Mons. Salvador Parente que sublinhou as facetas do homenageado, em especial o seu perc

urso multicultural. A sua obra, tão vasta, abrange a Literatura – prosa , poesia, dramaturgia (comédias várias), crítica literária e ensaio -, a Linguística, a História , a Música, a recolha de poesia e música (cancioneiros), etc. A sua produção é imensa, alguma dela já publicada e outra que poderá vir a ser publicada, assim haja organismos que se «cheguem à frente» em apoios que possam revelar esta obra maior, única, sem paralelo na cultura vila-realense e distrital (pelo menos), já que parece não haver recanto – que se estende à Galiza - que não tenha recebido dele um «pedaço» do seu talento, sobretudo musical, porque foi "solicitado por inúmeras comissões de festas, organizou saraus recreativos em muitíssimas localidades do distrito de Vila Real, em colégios, em escolas primárias, criou e dirigiu vários orfeões" disse Mons. Salvador Parente. Escreveu marchas (hinos) para todos os concelhos do distrito, para Angola, Moçambique. Muitas das suas composições foram editadas em discos. "Vivia para a música, mas da música não vivia", era uma frase muitas vezes ditas por ele, referiu o orador. Foi plagiado por muito lado, sem que daí recebesse qualquer compensação, que nunca reclamou, diga-se. Ainda assim, recebeu alguns prémios pela sua produção poética e musical. "Só analisando as suas variadíssimas obras tanto esotéricas como exotéricas e, por isso, revelando confidências suas, podemos avaliar a grandeza deste padre trasmontano... um eterno insatisfeito, disse Mons. Salvador Parente.

OLÁ AMIGOS:

Os órgãos sociais da Associação reuniram-se no passado dia 29, em Mondim de Basto , em casa do nosso amigo Zé Manuel Moura que nos recebeu magnificamente. D. Amândio Tomás foi o nosso convidado de honra.
Na reunião propriamente dita, o nosso «confrade» Valentim (o de Salto-Matosinhos) apresentou uma proposta-iniciativa de transcendente significado - a colocação de um busto de Mons alt . Ângelo Minhava num local ou artéria de Vila Real. A proposta foi aprovada por unanimidade. A Associação irá fazer agora as diligências necessárias junto da edilidade.
O nosso amigo Baltasar entregou à guarda da Associação um dossier com documentação que revela a amizade de vários sacerdotes, já falecidos, que tinham encontros periódicos. Sobre os mesmos daremos nota na próxima assembleia geral de Maio.
Por agora, um abraço a todos.
Ribeiro Aires, secretário da Direcção